Notícias

Já podem sacar o auxílio emergencial todos os beneficiários nascidos no mês de fevereiro

Publicidade

Os trabalhadores informais nascidos em fevereiro e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) podem sacar a partir de hoje a terceira parcela do auxílio emergencial para 2021. No dia 19 de junho, os recursos foram depositados na caderneta de poupança digital da Caixa Econômica Federal.

Sem nenhum custo para o usuário, os recursos também podem ser movidos para uma conta corrente. Até há pouco tempo, o repasse de dinheiro era feito através do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de contas da casa por meio de boletos, compras em lojistas virtuais e compras com código QR (versão avançada do código de barras) em máquinas de lojas parceiras.

A central telefônica 111 da Caixa funciona das 7h às 22h, de segunda a domingo. Além disso, o beneficiário pode acessar auxilio.caixa.gov.br para mais informações.

Publicidade

A retirada deveria acontecer no dia 15 de julho, mas por decisão da Caixa foi antecipada em quase duas semanas. Segundo o banco, o cronograma foi adiado devido à adaptação dos sistemas tecnológicos e dos beneficiários ao mecanismo de pagamento de auxílios emergenciais.

O governo federal estabeleceu ajuda de emergência em abril do ano passado para ajudar as pessoas carentes afetadas pelo surto de covid-19. Era parcelado em cinco parcelas de R $ 600 ou R $ 1.200 para mães solteiras, e posteriormente estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R $ 300 ou R $ 600.

O novo ciclo de pagamentos deste ano, que terá duração de quatro meses, terá parcelas que variam de R $ 150 a R $ 375, dependendo do perfil: as famílias receberão R $ 250, as famílias monoparentais chefiadas por mulher receberão R $ 375, e os solteiros receberão R $ 150.

O auxílio será oferecido a famílias com renda total mensal de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo, conforme o critério. Por não haver uma nova etapa de inscrição, o beneficiário já deve ter sido apurado para ser elegível até dezembro de 2020. A regra do valor mais vantajosa vale para quem recebe o Bolsa Família, seja a parcela paga no programa social ou de emergência.

Publicidade

 

Fonte: Mixrondonia

Publicidade

Relacionados