Adversário do Santos promete punir torcedor que imitou macaco

0

O Defensa y Justicia prometeu nesta quarta-feira (04/03) identificar e punir o torcedor do clube que imitou um macaco na direção do setor visitante na partida contra o Santos, no estádio Norberto Tomaghello, na região metropolitana de Buenos Aires, na Argentina, na abertura do Grupo G da Copa Libertadores da América. Os brasileiros venceram por 2 x 1.

A equipe argentina fez uma postagem nas redes sociais para se posicionar. “Em relação à pessoa que fez gestos racistas, nós tentaremos identificá-lo e aplicaremos uma sanção correspondente”, escreveu o clube, que publicou uma foto de torcedores do Defensa y Justicia e do Santos confraternizando antes da partida. “Assim como há os maus, também há bons exemplos, e estes valem ser destacados. A Copa Libertadores é mais que futebol”, reforçou.

As imagens foram registradas por um torcedor do Santos presentes ao estádio na terça-feira. No vídeo, também é possível ver um brasileiro, que não está identificado, reclamando do ato racista do torcedor do Defensa y Justicia, que estava próximo aos policiais. “Ninguém vê isso?”, questionou.

Pouco depois do jogo, o Defensa y Justicia já havia realizado uma postagem nas redes sociais sobre o ato racista. O clube argentino diz que procurou os dirigentes do Santos pessoalmente para se desculpar pelo episódio. “O clube repudia e condena o ato racista exercido. Em Florencio Varela, quem nos visita é sempre tratado com respeito e cordialidade. Já pedimos desculpas ao Santos pelo fato”, publicou.

O Santos também publicou uma nota sobre o caso. Confira:

Nota oficial sobre o inadmissível ato de racismo que ocorreu na partida contra o Defensa y Justicia, realizada no dia 03/03/2020, no Estádio Norberto Tomaghello.

Ver imagem no Twitter

Outros casos

O ato na partida na região metropolitana de Buenos Aires se soma a outros casos de racismo em competições da Conmebol. Neste ano, em 20 de fevereiro, a partida entre Oriente Petrolero e Vasco na Bolívia ficou marcada por um caso de racismo. Goleiro reserva do Vasco, Alexander reclamou com o quarto árbitro, alegando ter sido chamado de macaco. A transmissão do jogo flagrou torcedores fazendo gestos. Mas nenhuma ação contra o torcedor foi adotada.

Vários outros casos ocorreram em edições recentes da Libertadores. Em 2018, torcedores do Rosario Central fizeram sons que imitam macacos para são-paulinos, assim como torcedores do Boca Juniors realizaram o mesmo contra palmeirenses. Naquela mesma temporada, torcedores do Racing jogaram cascas de bananas para os vascaínos em São Januário

Fonte: Metrópoles

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here